Arquivo da tag: victor hugo

Leituras do mês | Março 2015

Março foi um mês tenso. Já começo dizendo que não concluí leitura nenhuma. Comecei umas, acumulei, intercalei com leituras para os estudos, desejei começar mais livros ainda… E finalmente tomei uma decisão: é preciso foco. O plano é, portanto, finalizar as leituras em andamento e escolher com mais cuidado os livros no futuro, até mesmo para eu cumprir meus propósitos de ler certas coisas que eu havia selecionado. Então vamos lá.

Lendo:

Leituras em andamento março/abril 2015

Anna Kariênina
É verdade que não avancei uma linha desde a última retrospectiva mensal, mas ainda considero que esta é uma leitura em andamento. É muito improvável que eu leia muito dele em abril, visto que tenho outras coisas que pretendo terminar, e também trata-se de um livro muito difícil de carregar.

Os trabalhadores do mar
Já deixei de lado, perdi, encontrei de novo e nada de terminar.

Far from the madding crowd
Neste eu estava indo até bem, mas acabei substituindo a leitura dele por outro livro que eu pretendia concluir ainda em março. Não deu certo, mas ainda quero finalizá-lo neste mês para pegar a estreia da adaptação cinematográfica.

Little women
Leitura conjunta com a Michelle do blog Resumo da Ópera, como parte do Desafio do Skoob (que acontece no Facebook). Nenhuma de nós duas conseguiu terminar, mas teve mais gente lendo e é possível encontrar algumas resenhas, como a da Aline Aimée do Little Doll House.

Ficciones
Para deixar de ter vergonha na cara, resolvi começar finalmente a ler livros para o projeto (até agora apenas anunciado) Por que ler os clássicos. Trata-se de um livro curto, de contos, mas de maneira alguma simples. Em um dia que tinha que pegar um ônibus para o outro lado da cidade carreguei esse livro pensando em praticamente terminá-lo e, surprise surprise, terminei UM mísero conto.

Contos de auto ajuda para pessoas excessivamente otimistas
Este, sim, é um que eu poderia ter terminado. (Resolução: sair da frente deste computador ao terminar este post e finalmente finalizar essa leitura.) E mais ainda: eu deveria ter lido há alguns meses atrás, visto que se trata de um presente do próprio autor que é meu amigo! (Estou me sentindo um péssimo ser humano neste momento.)

Como é possível perceber, na fúria de abraçar o mundo, representado pelas minhas estantes, eu fui começando e começando livros até chegar à incrível marca de seis leituras simultâneas. E é chegado o momento do basta. A intenção agora é, portanto, finalizar cinco livros (a exceção fica por conta de Anna Kariênina) para poder partir para outras leituras, as quais pretendo planejar com mais cuidado para dar conta de ler mais mulheres, os autores que desejo conhecer ou conhecer mais em 2015 e avançar no projeto Por que ler os clássicos.

Feira: Janeiro de 2014

Se no ano de 2013 eu fui uma pessoa ultra comportada no quesito compras de livros, atendo minhas leituras ao que eu já tinha na estante ou no Kindle, 2014 começa com uma amostra preocupante. Se o primeiro mês do ano ditar o tom do ano, posso dizer que daqui a onze meses estarei com um rombo bancário preocupante.

 

Cosac Naify: promoção de virada do ano

– História do pranto, Alan Pauls
– História do cabelo, Alan Pauls
– O sonho dos heróis, Adolfo Bioy Casares
– Coração, Edmondo de Amicis

 

Livraria Leitura: vi e queria imediatamente

Valente para todas, Vitor Cafaggi
Valente por opção, Vitor Cafaggi

Fnac: surto de quadrinhos (que coincidentemente estavam em alguma promoção)

Maus, Art Spiegelman
– Laços, Vitor Cafaggi e Lu Cafaggi
Azul é a cor mais quente, Julie Maroh

Cosac Naify: mais promoção…

Os miseráveis, Victor Hugo
– A máquina de fazer espanhóis, Válter Hugo Mãe
– Bonsai, Alejandro Zambra
A vida privada das árvores, Alejandro Zambra

Ainda não me decidi sobre o que acho da Cosac Naify: amo por suas lindas edições e um mês de promoções, ou odeio – também pelas promoções? O problema dos descontos é que eles aparecem de uma hora pra outra e sabemos que são efêmeros, temos que nos apegar àqueles preços antes que eles desapareçam. E aí, é claro, vemos no final do mês um saldo problemático, fruto desses desesperos. E nem estou contando aqui outras compras que ainda não acharam seu caminho até minha estante….

Alguém mais enfiou o pé na jaca este mês?