Arquivo da tag: tag

Vídeo: The Beatles Book Tag

O vídeo é de novembro de 2014, mas na correria da vida esqueci de postar por aqui.

Tag criada por:

Aline Aimée
https://www.youtube.com/channel/UC_D6jkHnMy94C6V-VTnGzJg
www.little-doll-house.com

Tatianne Dantas (no país das entrelinhas):
https://www.youtube.com/user/paisdasentrelinhas
http://nopaisdasentrelinhas.blogspot.com/

1. Twist and Shout – um livro que sempre te deixa feliz.
2. All my loving – um livro com uma história romântica
3. Across the universe – um livro transcendente
4. Help! – um livro onde o protagonista sofra/coma o pão que o diabo amassou.
5. Beatles For Sale – um best seller favorito
6. Penny Lane – um livro que te lembre o lugar onde você nasceu
7. In my life – biografia ou memória favorita
8. Strawberry Fields Forever – um livro que te fez crescer de alguma forma
9. Revolver – livro policial favorito
10. Sgt. Pepper’s Lonely Heart Club Band – livro fantástico favorito
11. Magical Mistery Tour – um livro que contenha um universo mágico, fantasioso, surreal.
12. White Album – um calhamaço (só porque o álbum é duplo, rs)
13. The long and winding road – um livro triste
14. Revolution – um livro com personagem questionador

Músicas do vídeo:
Here comes the sun
Let it be

Vídeo: TAG Confissões de uma Bibliófila

Vídeo antiiigo que esqueci de postar aqui.

Vídeo do Cem Anos de Literatura: https://www.youtube.com/watch?v=IkYu0iy2-pw

Vídeo original da TAG: http://youtu.be/EA-nlwA-4B8

Tradução: Inês Costa e Joana Teixeira.
Canal da Inês: https://www.youtube.com/user/InesBooks

Perguntas:
1. Qual é o gênero de literatura que você se mantém longe?
2. Qual é o livro que você tem na estante e tem vergonha de não ter lido?
3. Qual é o seu pior hábito enquanto leitora?
4. Você costuma ler a sinopse antes de ler o livro? (Esta pergunta nós inventamos; a original tratava de livros enviados antes da publicação e nós não recebemos livros assim; por isso mudamos a pergunta.)
5. Qual é o livro mais caro da sua estante?
6. Você compra livros usados/em sebo?
7. Qual é a sua livraria (física) preferida?
8. Qual é a sua livraria online preferida?
9. Você tem um orçamento (mensal) para comprar livros?
10. Quem você “tagueia”?

Vídeo: TAG Trinca de leitura

Fui taggeada pelos meninos ultra simpáticos do blog Incriativos para responder às perguntas criadas pelo pessoal dos Espanadores.

Perguntas:
1 – Quais autores/obras se envergonha de ainda não ter lido? Ou ainda não leu direito?
2 – Quais autores/obras “destoam” sua biblioteca de leituras?
3 – Quais autores/obras dá um trabalho hercúleo não gostar?

Vídeo: TAG Minha história de leitura

Prazer em conhecer vocês! Bom, na verdade eu já conhecia um bocado de gente, o resto é que nunca tinha visto minha cara – que agora está aí, vergonhosamente se colocando na internet.

Relutei demais em fazer um vídeo, por pura vergonha mesmo (o que dá para notar), mas no final das contas sou faladeira demais, portanto a vontade de tagarelar, mesmo que seja para uma lente, fala mais alto.

Eu queria já há algum tempo falar sobre a minha história de leitura, mesmo porque acho que diz muito sobre quem eu sou hoje e é sempre bom olhar pra trás e reorganizar as ideias. No entanto, era meio difícil escrever (e a preguiça?), então escolhi esse tema para fazer um vídeo. =)

TAG: Retrospectiva Literária Sensual

RetrospectivaSensual8

Enxerida que sou, resolvi, ainda que atrasada e sem ser convidada, participar de uma tag criada pela Michelle do blog Resumo da Ópera. São várias categorias e me pareceu uma maneira legal de olhar para as leituras do ano passado com um pouquinho mais de cuidado, lembrando de tramas, personagens e outras coisas mais superficiais – como as próprias capas. Então lá vai:

A capa do ano
Nada emocionante nesta categoria. Fico com a magia da Cornelia Funke em livro não traduzido para o português, Hinter verzauberten Fenstern (algo como “Detrás de janelas encantadas”).

O título do ano
Fico com “A via crucis do corpo”, da Clarice Lispector. Dá para viajar bastante neste título, mas ele ainda assim permanece muito coerente com os 13 contos que o compõem.

A surpresa do ano
“Os vestígios do dia”, do Kazuo Ishiguro. Eu esperava algo legal, mas jamais esperaria o que tive. Entendo que muita gente não deve achar esse livro isso tudo, mas me tocou bastante e acho fantástico como o Ishiguro consegue escrever sobre personagens se lembrando e refletindo sobre suas vidas.

A decepção do ano
Infelizmente eu pensei em vários livros para encaixar aqui. Não que tenham sido livros ruins, mas simplesmente não passaram tão perto assim de tudo o que esperava deles. Elejo, no entanto, “Scott Pilgrim”, mas reconheço que pode ser problema de tradução…

A série do ano
Então, não li nenhuma série. Pula?

O livro nacional do ano
É com grande pesar que anuncio que li um livro brasileiro neste ano. Clarice Lispector, esse título vai pra você.

O autor do ano (um que você tenha lido pela primeira vez neste ano)
Mia Couto. Fiquei fascinada com a maneira como ele joga com as palavras e com a língua. Absolutamente preciso mais.

A pechincha ou a raridade do ano
Em 2013 eu comprei pouquíssimos livros. Quão pouco? Menos de 10 pouco. E todos mais ou menos na mesma faixa dos 20 e poucos reais.

O melhor desfecho
“As virgens suicidas”, do Jeffrey Eugenides. Nada espetacular, mas bonito, cruel e sensível.

O protagonista masculino do ano
Heathcliff, de “O morro dos ventos uivantes” (Emily Brontë). Eu torci por ele ao mesmo tempo que o odiava. Um personagem que viveu coisas terríveis e alimentou um sentimento de vingança e pessimismo incríveis.

O protagonista feminino do ano
Acabo de perceber que não tive protagonistas marcantes femininos. Fico então com Denise, de “O paraíso das damas” (Émile Zola). Não que ela seja particularmente interessante.

Personagem coadjuvante masculino
Lennie, de “Ratos e homens” (John Steinbeck). Me provocou uma sensação terrível pensar nele num contexto como o do livro.

Personagem coadjuvante feminino
Ms. Kenton, de “Os vestígios do dia”. Me pareceu uma mulher forte à sua maneira, ainda que numa posição de subserviência. A sutileza nas horas necessárias, a explosão… Mal posso esperar para finalmente ver o filme e a minha querida Emma Thompson na pele dela.

O pior do ano
“Saphirblau”, de Kerstin Gier. Não me parece que foi traduzido para o português, mas trata-se do segundo livro de uma trilogia em língua alemã. Não esperava muita coisa e estava lendo mais para ainda ter algum contato com a língua sem precisar fazer um esforço enorme numa alta literatura, mas definitivamente não vale a pena. É extremamente bobo.

O melhor do ano
Pergunta cruel. Fico com “O paraíso das damas”, também por ter sido o livro que mais ficou comigo durante o ano (literalmente, eu demorei horrores pra ler!).

Sua meta 2013 foi cumprida?
Não. havia estabelecido uma meta de 40 livros e acabei lendo apenas 29. Claro, tive minha rotina brutalmente alterada em relação ao ano anterior e este foi o ano do cansaço.

Qual é a sua meta para 2014?
Estabeleci duas metas:
– 35 livros e
– leituras mais seletivas.
Em dado momento estava fazendo escolhas estranhas, então decidi ser mais seletiva e desistir de certos livros famosos mas que não são, definitivamente, meu estilo (adeus, YA!).