Arquivo da tag: jorge luis borges

Leituras do mês | Março 2015

Março foi um mês tenso. Já começo dizendo que não concluí leitura nenhuma. Comecei umas, acumulei, intercalei com leituras para os estudos, desejei começar mais livros ainda… E finalmente tomei uma decisão: é preciso foco. O plano é, portanto, finalizar as leituras em andamento e escolher com mais cuidado os livros no futuro, até mesmo para eu cumprir meus propósitos de ler certas coisas que eu havia selecionado. Então vamos lá.

Lendo:

Leituras em andamento março/abril 2015

Anna Kariênina
É verdade que não avancei uma linha desde a última retrospectiva mensal, mas ainda considero que esta é uma leitura em andamento. É muito improvável que eu leia muito dele em abril, visto que tenho outras coisas que pretendo terminar, e também trata-se de um livro muito difícil de carregar.

Os trabalhadores do mar
Já deixei de lado, perdi, encontrei de novo e nada de terminar.

Far from the madding crowd
Neste eu estava indo até bem, mas acabei substituindo a leitura dele por outro livro que eu pretendia concluir ainda em março. Não deu certo, mas ainda quero finalizá-lo neste mês para pegar a estreia da adaptação cinematográfica.

Little women
Leitura conjunta com a Michelle do blog Resumo da Ópera, como parte do Desafio do Skoob (que acontece no Facebook). Nenhuma de nós duas conseguiu terminar, mas teve mais gente lendo e é possível encontrar algumas resenhas, como a da Aline Aimée do Little Doll House.

Ficciones
Para deixar de ter vergonha na cara, resolvi começar finalmente a ler livros para o projeto (até agora apenas anunciado) Por que ler os clássicos. Trata-se de um livro curto, de contos, mas de maneira alguma simples. Em um dia que tinha que pegar um ônibus para o outro lado da cidade carreguei esse livro pensando em praticamente terminá-lo e, surprise surprise, terminei UM mísero conto.

Contos de auto ajuda para pessoas excessivamente otimistas
Este, sim, é um que eu poderia ter terminado. (Resolução: sair da frente deste computador ao terminar este post e finalmente finalizar essa leitura.) E mais ainda: eu deveria ter lido há alguns meses atrás, visto que se trata de um presente do próprio autor que é meu amigo! (Estou me sentindo um péssimo ser humano neste momento.)

Como é possível perceber, na fúria de abraçar o mundo, representado pelas minhas estantes, eu fui começando e começando livros até chegar à incrível marca de seis leituras simultâneas. E é chegado o momento do basta. A intenção agora é, portanto, finalizar cinco livros (a exceção fica por conta de Anna Kariênina) para poder partir para outras leituras, as quais pretendo planejar com mais cuidado para dar conta de ler mais mulheres, os autores que desejo conhecer ou conhecer mais em 2015 e avançar no projeto Por que ler os clássicos.

4 autores para 2015

Eu sei que estamos avançados já 2015 adentro para fazer este tipo de post, com visões gerais sobre o ano que se extende à nossa frente, mas vou fazer isso mesmo assim. Vou, a essa altura do campeonato, listar quatro autores que eu gostaria muito de conhecer neste ano.

VirginiaWoolfVirginia Woolf

Eu acho que tirando aquele momento no qual o filme As horas fez muito sucesso (e eu gostava muito da Nicole Kidman), nunca mais tive real interesse em ler Virginia Woolf. Talvez fosse puro desinteresse, talvez receio do que se diz sobre a dificuldade de ler e acompanhar o tão falado fluxo de consciência, mas por mais que houvesse um auê em cima da autora, eu nunca tinha me importado muito com ela. Entretanto, a Francine (do site e canal Livro & Café) finalmente me convenceu. Ela faz mais do que elogiar Virginia Woolf: ela explica, lê em voz alta, coloca em discussão a obra da autora, o que fez brotar em mim um real interesse em ler, se não todas, algumas obras da V.Woolf. O empurrãozinho final foi dado pelo projeto Bastardas, que neste mês de fevereiro lê e discute o livro Um teto todo seu.

Pretendo ler:
Orlando
– Um teto todo seu
– O valor do riso

jorge-luis-borgesJorge Luis Borges

Já ali aqui ali um conto do Borges. Trechos encontramos sempre, destacados aqui e ali. Em epígrafes então… Mas está na hora de sentar e ler o homem. O Homem. Borges faz parte também do projeto Porque ler os clássicos?, que acredito ajudará a dar uma norteada na leitura de sua obra.

Pretendo ler:
– Ficções
– O Aleph

valterhugomaeVálter Hugo Mãe

Morro de vontade, adio constantemente. Entre os livros que moram comigo, já tem alguns da atoria deste português. Eu confesso que no finalzinho de 2014 cheguei a ler um livrito de sua autoria, O paraíso são os outros, mas que é um texto tão curto que não acredito sirva para dizer que se conhece o autor. Sei que partirei para a leitura com um certo medo, dado o tanto de elogios que vejo por aí – sinto-me obrigada a amar porque se não amar é porque não entendi, porque não fui capaz. (Pois é, muita expectativa!) O Válter Hugo Mãe é mega ativo no Instagram, onde posta fotos lindas.

Pretendo ler:
– A máquina de fazer espanhóis
– A desumanização
– O filho de mil homens

philip-k-dick1Philip K. Dick

Esse aqui vem como representante de um gênero que não costumo ler e com o qual tenho certo pé atrás: o gênero de ficção científica. Existem mais autores deste ramo que quero muito, muito mesmo conhecer (como Margaret Atwood), mas por enquanto tenho estado bastante curiosa com Dick, que pelo que vejo tem seus vários fãs fervorosos. Interferiu a seu favor ele ter escrito o livro que inspirou o ótimo Blade Runner.

Pretendo ler:
– Andróides sonham com ovelhas elétricas?
– Ubik

***

Claro, existem outros autores que não li e que definitivamente entram sempre nas minhas listas de pendências. Os citados aqui são apenas os urgentes, os que, espero, deste ano não passam.

Comentários sobre estes autores ou sobre quais escritores vocês estão na fúria para conhecer este ano são bem vindos! 😉