Arquivo da tag: italo calvino

Vídeo: Leituras do mês | Fevereiro de 2015

LIVROS MENCIONADOS:

O talentoso Ripley, de Patricia Highsmith

O barão nas árvores, de Italo Calvino

Um, dois e já, de Inés Bortagaray

Cada homem é uma raça, de Mia Couto

A visita cruel do tempo, de Jennifer Egan

Um teto todo seu, Virginia Woolf

Projeto: Por que ler os clássicos

Decidi colocar em prática e publicizar um projeto sobre o qual venho pensando já há uns bons meses.

O Projeto Por Que Ler os Clássicos é baseado no livro de mesmo nome do escritor italiano Italo Calvino, que contém pequenos capítulos sobre 32 textos ou autores considerados clássicos da literatura mundial.

Por que ler os clássicos, Italo CalvinoNão estou colocando prazo para isto no momento, mas estando o projeto criado, acabamos direcionando, aqui e ali, as leituras para o que está proposto. Também não me prenderei a ler na ordem – vou indo no que me der vontade. Ainda não procurei por traduções de todos os livros e nem sei se todos estão em português (na edição que tenho de “Por que ler os clássicos”, da Companhia de Bolso, vários estão com títulos não traduzidos), então recorrerei a idiomas estrangeiros que domino o suficiente para me aventurar na leitura (espanhol e inglês – o alemão, coitado, foi ficando para trás sem nunca ter estado exatamente à frente).

Segue a lista de obras/autores que mereceram um capítulo no livro do Calvino:

A Odisséia, de Homero
Anábase, de Xenofonte
Metamorfoses, de Ovídio
História natural, de Plínio
As sete princesas, de Nezami*
Tirant lo Blanc, de Joanot Martorell e Martí Joan de Galba / Don Quixote, de Miguel de Cervantes**
Orlando furioso, Matteo Maria Boiardo
De propria vita, de Gerolamo Cardan
Galileu Galilei
Histoire comique des états et empires de la Lune, de Cyrano de Bergerac
Robinson Crusoe, de Daniel Defoe
Cândido, de Voltaire
Jacques, o fatalista, e seu amo, de Denis Diderot
Giammaria Ortes
Stendhal
Balzac ***
Our mutual friend, de Charles Dickens
Três contos, de Gustave Flaubert
Dois hussardos, de Lev Tolstói
O homem que corrompeu Hadleyburg, de Mark Twain
Daisy Miller, de Henry James
O pavilhão nas dunas, de Robert Louis Stevenson
Joseph Conrad
O doutor Jivago, de Boris Pasternak
La cognizione del dolore / Quer pasticciaccio brutto de via Merulana, de Carlo Emilio Gadda
Eugenio Montale
Ernest Hemingway
Francis Ponge
Jorge Luis Borges
Raymond Queneau
La luna e i faló, de Cesare Pavese

*Esse vai ser complicado, parece que o Calvino se refere a uma tradução específica para o italiano, feita por Alessandro Bausani.
** O capítulo parece discorrer sobre vários romances de cavalaria, sobretudo na relação entre as duas obras citadas. Vou escolher apenas uma para o desafio.
*** Calvino fala especificamente da cidade na obra de Balzac. Assim, ainda farei uma seleção de histórias que se encaixem na temática.

Feira: Março de 2014

Para as aquisições de livros em março de 2014, resolvi fazer um videozito.

Feira de livros da UFMG
– O beijo de Lamourette, de Robert Darnton
– O espetáculo das raças, Lilia Moritz Schwarcz
– O sabor do arquivo, Arlette Farge
– Cibercultura, Pierre Levy
– Por que ler os clássicos?, de Italo Calvino
– O barão nas árvores, de Italo Calvino
– As cidades invisíveis, de Italo Calvino
– Cada homem é ma raça, de Mia Couto
– E se Obama fosse africano?, de Mia Couto
– Terra sonâmbula, de Mia Couto
– Habibi, de Craig Thompson

Livraria Travessa
– Pavor espaciarde Gustavo Duarte

Livraria Cultura
– Little women, de Louisa May Alcott
– Sense and sensibility, de Jane Austen

Estante Virtual
– O obsceno pássaro da noite, de José Donoso