2016

Livros lidos em 2016, por ordem de leitura (dos mais antigos para os mais recentes) com links para aqueles que tiveram resenha no blog ou canal do Youtube. Estão apenas links para resenhas específicas dos livros, não há referência a mini-resenhas publicadas em retrospectivas do mês ou em posts temáticos. Livros com os títulos da edição lida. No caso de livro lido em língua estrangeira, o título traduzido se encontra entre parênteses.

Purple hibiscus, de Chimamanda Ngozi Adichie (Hibisco roxo)

Brooklyn, de Colm Toibín

O que deu pra fazer em matéria de história de amor, de Elvira Vigna

Ilness as a metaphor, de Susan Sontag (A doença como metáfora)

The white tiger, de Aravind Adiga (O tigre branco)

Como conversar com um fascista, de Márcia Tiburi

Peter Pan, de J.M. Barrie

E se Obama fosse africano?, de Mia Couto

24/7 Capitalismo tardio e os fins do sono, de Jonathan Crary

Expect more: demanding better libraries for today’s complex world, de David Lankes

A riqueza de poucos beneficia todos nós?, de Zygmunt Bauman

A máquina de fazer espanhóis, de Valter Hugo Mãe

O filtro invisível: o que a internet está escondendo de você, de Eli Pariser

The yellow wallpaper, de Charlotte Perkins Gilman

São Bernardo, de Graciliano Ramos

Pensamento chão: poemas em prosa e verso, de Viviane Mosé

Um útero é do tamanho de um punho, de Angélica Freitas

Menino do mato, de Manoel de Barros