Resenha: Entremundos | Neil Gaiman

InterWorldNeil Gaiman é um cara de quem eu gosto bastante. Vira e mexe acompanho as suas postagens em seu blog pessoal, li várias coisas espalhadas aqui e ali, e curto esse ar sombrio e fantasioso das suas histórias. Sempre começo um livro do Gaiman não exatamente com grandes expectativas, mas com a certeza de que será uma leitura agradável, com umas saídas mágicas de deixar os olhos brilhando. Foi com essas sensações que peguei InterWorld (no Brasil, Entre mundos), primeiro livro de uma série de fantasia e ficção científica ainda em publicação, de autoria conjunta com Michael Reaves e publicado originalmente em 2007.

Tendo dito tudo isso, é um pesar declarar que não gostei deste livro e que não seguirei a série. Não que ela não tenha seus méritos, mas explicarei isso detalhadamente adiante.

O livro acompanha o jovem Joey Harker, um adolescente comum, que vai à escola, gosta de uma menina impossível, vira e mexe é azucrinado por alguém chato – esse tipo de coisa. Um belo dia ele descobre que pode se movimentar entre mundos, isto é, que existem várias dimensões, várias versões do nosso mundo como o conhecemos, e que ele tem a habilidade de se movimentar entre estas dimensões.

A construção desse universo é bastante interessante. A missão de Joey Harker (e várias de suas outras “versões”, provenientes de diferentes dimensões) é manter o equilíbrio entre magia e ciência neste universo. Explicando: existem duas forças, ou organizações, que vivem em constante batalha. Uma delas é totalmente lógica e científica, a outra é puramente mágica. O exército de Joeys é interessante para ambos, já que podem ser utilizados (e quando eu digo “utilizados” eu também quero dizer “mortos”) como força, combustível, que os ajuda a atingir seus propósitos. Imagino que não deve ter dado para entender muito desta pequena explicação, mas acredito que a essência está bem exposta aqui.

Eu achei a premissa bastante interessante. Me chamou a atenção essa variedade de mundos possíveis, de pensar em várias versões da nossa realidade, e sobretudo em pensar magia e ciência no mesmo patamar, isto é, sem aquele olhar necessariamente de superioridade de um sobre o outro, mas como maneiras de entendimento do mundo. A maneira como as viagens entre as dimensões são feitas também é legal, com vários detalhes a respeito de como esse universo funciona. O “impossível” é bem explicado e neste sentido acredito que essa seja uma fantasia/ficção-científica bem construída, pois não confia somente no leitor que vai comprar qualquer ideia, mas dá os elementos para que, dentro da história, aquilo seja verossímil.

Meu problema com este livro está na narrativa e nos personagens. Acredito que o problema na narrativa esteja por aparentemente este ser um livro publicado meio sem cuidados. Explicando: inicialmente esta era uma ideia para uma série para TV. Os autores não conseguiam explicar aos produtores a trama, então decidiram escrever, o que tampouco deu certo, já que nunca conseguiram vender a história. Anos e anos depois, desengavetaram o projeto, deram umas consertadas e publicaram. Por isso penso que isso explica o ritmo dos acontecimentos, a obviedade de certas situações, reações e falas. É tudo meio script de cinema mesmo. Também acredito que isso tenha prejudicado o desenvolvimento dos personagens, que me parecem bem rasos. Talvez fosse intenção dos roteiristas deixar isso para quando vendessem os direitos da série, mas como livro, isso definitivamente prejudicou a história. É difícil entender certas decisões tomadas pelo personagem principal, por exemplo.

EntremundosTalvez estes problemas tenham sido corrigidos no segundo livro da série, que foi lançado apenas no ano passado, em 2013. Tendo em vista que o segundo volume não foi escrito para a TV, mas já foi pensado como livro, como texto para ser lido, acredito que possam ter havido mudanças substanciais. Eu, no entanto, vou partir para outras coisas do Neil Gaiman.

O segundo livro da série, The silver dream, foi publicado em 2013 pela HarperTeen. Ele conta um terceiro autor, Mallory Reaves. Não encontrei previsão de lançamento da tradução no Brasil. Segundo Neil Gaiman, o terceiro livro está em produção e já estão sendo realizados encontros entre os autores para discutir a história.

***

Título original: InterWorld
Ano de publicação: 2007
Idioma original: Inglês

Título em português: Entremundos
Ano de publicação: 2014
Editora: Rocco
248 páginas

Anúncios

9 ideias sobre “Resenha: Entremundos | Neil Gaiman

  1. Michelle

    Já li umas resenhas sobre esse livro, achei a proposta interessante, mas até agora não me convenci a ler. Primeiro porque não gosto de séries. E ainda tem essa questão de script que virou livro. Não sei. Vou aguardar o lançamento de todos os volumes e daí decido.
    bjo

    Resposta
    1. Olivia Autor do post

      É, Michelle, a proposta é realmente muuuuito legal, mas na minha opinião a execução foi bem pobre. E me dói falar isso de algo do Neil Gaiman, porque eu gosto dele. Tem cara de coisa arranjada às pressas e sem cuidado, pra ganhar dinheiro. =/
      Beijos!

      Resposta
  2. Eduarda Sampaio

    Eu ganhei esse livro num sorteio que aconteceu lá no blog da Denise, acredita? Fiquei super feliz! =D
    Do Gaiman eu só li Sandman e Coraline. Vou ler esse Entremundos e depois volto aqui para ler o post direitinho e comentar.
    Beijo!

    Resposta
    1. Olivia Autor do post

      Que legal ganhar sorteio!!!! Sortuda! =)
      Eu também nao gosto muito de ler/ver resenhas de livros que pretendo ler, entendo totalmente. Você deve ler rapidinho, é coisa rapida mesmo de ler. Depois quero saber das suas impressões. =)
      Beijos!

      Resposta
  3. Alerrandra

    Então, eu como você gostei bastante da temática. Tudo pareceu bastante promissor pra mim assim que eu bati os olhos na sinopse. Admito que li o primeiro livro meio desinteressada. A história realmente te deixa com essa impressão. Você não falou nenhuma mentira, mas dei uma chance pro volume dois e acabei de terminar Sonho de Prata com meus dois pés na boca. Eu adorei o segundo livro. Muito. Espero que você dê uma chance mais tarde aos autores, porque eu gostei bastante da mudança e do desenvolvimento da história. Beijos!

    Resposta
    1. Olivia Autor do post

      Oi, Alerrandra!
      Sendo sincera, nao está nas minhas pretensões, nao, mas quem sabe um dia eu volte, né? Mas eu queria mesmo ver uma série com essa história, acho que seria muito legal, de verdade. A leitura é que me pareceu de uma linguagem meio fora do que gosto.
      Obrigada pelo comentário!
      Abraços!

      Resposta
  4. Jude

    Olivia parabéns pelo blog, florzinha eu gostei tanto desse livro!A historia é fantástica, a leitura é rápida dinâmica sem enrolação, mas eu não senti falta de nada nas personagens, gostei deles, são carismáticos e bem pensados, só não tem melação e nem uma psicanálise deles (bem… nem precisou né?).
    Pelo que eu li nas últimas páginas, o livro foi feito para ser um livro mesmo, já que nenhum produtor de tv quis comprar a ideia.

    Resposta
    1. Olivia Autor do post

      Oi, Jude!
      Ah, eu infelizmente fiquei sentindo falta de algo a mais, mas tudo bem. As coisas nao agradam todo mundo, né? =)
      Obrigada pelo comentário!
      Abraços!

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s