Arquivo mensal: junho 2014

Resenha: Entremundos | Neil Gaiman

InterWorldNeil Gaiman é um cara de quem eu gosto bastante. Vira e mexe acompanho as suas postagens em seu blog pessoal, li várias coisas espalhadas aqui e ali, e curto esse ar sombrio e fantasioso das suas histórias. Sempre começo um livro do Gaiman não exatamente com grandes expectativas, mas com a certeza de que será uma leitura agradável, com umas saídas mágicas de deixar os olhos brilhando. Foi com essas sensações que peguei InterWorld (no Brasil, Entre mundos), primeiro livro de uma série de fantasia e ficção científica ainda em publicação, de autoria conjunta com Michael Reaves e publicado originalmente em 2007.

Tendo dito tudo isso, é um pesar declarar que não gostei deste livro e que não seguirei a série. Não que ela não tenha seus méritos, mas explicarei isso detalhadamente adiante.

O livro acompanha o jovem Joey Harker, um adolescente comum, que vai à escola, gosta de uma menina impossível, vira e mexe é azucrinado por alguém chato – esse tipo de coisa. Um belo dia ele descobre que pode se movimentar entre mundos, isto é, que existem várias dimensões, várias versões do nosso mundo como o conhecemos, e que ele tem a habilidade de se movimentar entre estas dimensões.

A construção desse universo é bastante interessante. A missão de Joey Harker (e várias de suas outras “versões”, provenientes de diferentes dimensões) é manter o equilíbrio entre magia e ciência neste universo. Explicando: existem duas forças, ou organizações, que vivem em constante batalha. Uma delas é totalmente lógica e científica, a outra é puramente mágica. O exército de Joeys é interessante para ambos, já que podem ser utilizados (e quando eu digo “utilizados” eu também quero dizer “mortos”) como força, combustível, que os ajuda a atingir seus propósitos. Imagino que não deve ter dado para entender muito desta pequena explicação, mas acredito que a essência está bem exposta aqui.

Eu achei a premissa bastante interessante. Me chamou a atenção essa variedade de mundos possíveis, de pensar em várias versões da nossa realidade, e sobretudo em pensar magia e ciência no mesmo patamar, isto é, sem aquele olhar necessariamente de superioridade de um sobre o outro, mas como maneiras de entendimento do mundo. A maneira como as viagens entre as dimensões são feitas também é legal, com vários detalhes a respeito de como esse universo funciona. O “impossível” é bem explicado e neste sentido acredito que essa seja uma fantasia/ficção-científica bem construída, pois não confia somente no leitor que vai comprar qualquer ideia, mas dá os elementos para que, dentro da história, aquilo seja verossímil.

Meu problema com este livro está na narrativa e nos personagens. Acredito que o problema na narrativa esteja por aparentemente este ser um livro publicado meio sem cuidados. Explicando: inicialmente esta era uma ideia para uma série para TV. Os autores não conseguiam explicar aos produtores a trama, então decidiram escrever, o que tampouco deu certo, já que nunca conseguiram vender a história. Anos e anos depois, desengavetaram o projeto, deram umas consertadas e publicaram. Por isso penso que isso explica o ritmo dos acontecimentos, a obviedade de certas situações, reações e falas. É tudo meio script de cinema mesmo. Também acredito que isso tenha prejudicado o desenvolvimento dos personagens, que me parecem bem rasos. Talvez fosse intenção dos roteiristas deixar isso para quando vendessem os direitos da série, mas como livro, isso definitivamente prejudicou a história. É difícil entender certas decisões tomadas pelo personagem principal, por exemplo.

EntremundosTalvez estes problemas tenham sido corrigidos no segundo livro da série, que foi lançado apenas no ano passado, em 2013. Tendo em vista que o segundo volume não foi escrito para a TV, mas já foi pensado como livro, como texto para ser lido, acredito que possam ter havido mudanças substanciais. Eu, no entanto, vou partir para outras coisas do Neil Gaiman.

O segundo livro da série, The silver dream, foi publicado em 2013 pela HarperTeen. Ele conta um terceiro autor, Mallory Reaves. Não encontrei previsão de lançamento da tradução no Brasil. Segundo Neil Gaiman, o terceiro livro está em produção e já estão sendo realizados encontros entre os autores para discutir a história.

***

Título original: InterWorld
Ano de publicação: 2007
Idioma original: Inglês

Título em português: Entremundos
Ano de publicação: 2014
Editora: Rocco
248 páginas